quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Abandonando as porcarias...


Olá meninas, primeiro quero agradecer a tds coment’s, obrigada por me apoiarem, de vdd vlw mesmo!!!

Então resolvi abandonar as porcarias, sibutramina, lax, e outros remedinhos mais, como resolvi ter uma vida saudável vou fazer por completo, sei que não vai ser fácil, mas já emagreci 3,20 kg, td bem que estou me recuperando do que engordei, mas ta bom, to feliz por estar conseguindo, e por não ter tanta compulsão como antes, não está sendo fácil, mas não vou desistir, tenho que cumprir minha meta!!!

Lembra das dicas? Então não vai ser hj, é que achei um teste sobre compulsão e queria dividir com vcs, espero que gostem...mas prometo que no próximo post eu coloco umas dicas legais ok???



Teste para aferir o grau de compulsão alimentar.

Instruções:
Você encontrará abaixo grupos de afirmações numeradas. Leia todas as afirmações em cada grupo e marque nesta folha aquela que melhor descreve o modo como você se sente em relação aos problemas que tem para controlar seu comportamento alimentar.

# 1
( ) 1. Eu não me sinto constrangido(a) com o meu peso ou o tamanho do meu corpo quando estou com outras pessoas.
( ) 2. Eu me sinto preocupado(a) sobre como pareço para os outros, mas isto, normalmente, não me faz sentir desapontado(a) comigo mesmo(a).
( ) 3. Eu fico mesmo constrangido(a) com a minha aparência e o meu peso, o que me faz
sentir desapontado(a) comigo mesmo(a).
( ) 4. Eu me sinto muito constrangido(a) com o meu peso e freqüentemente sinto muita
vergonha e desprezo por mim mesmo(a). Tento evitar contatos sociais por causa
desse constrangimento.

# 2
( ) 1. Eu não tenho nenhuma dificuldade para comer devagar, de maneira apropriada.
( ) 2. Embora pareça que eu devore os alimentos, não acabo me sentindo empanturrado(a) por comer demais.
( ) 3. Às vezes, tendo a comer rapidamente, sentindo-me então desconfortavelmente cheio(a) depois.
( ) 4. Eu tenho o hábito de engolir minha comida sem realmente mastigá-la. Quando isto
acontece, em geral me sinto desconfortavelmente empanturrado(a)por ter comido demais.

#3
( ) 1. Eu me sinto capaz de controlar meus impulsos para comer, quando eu quero.
( ) 2. Eu sinto que tenho falhado em controlar meu comportamento alimentar, mais do que a média das pessoas.
( ) 3. Eu me sinto totalmente incapaz de controlar meus impulsos para comer.
( ) 4. Por me sentir tão incapaz de controlar meu comportamento alimentar, entro em
desespero tentando manter o controle.

# 4
( ) 1. Eu não tenho o hábito de comer quando estou chateado(a).
( ) 2. Às vezes eu como quando estou chateado(a), mas, freqüentemente, sou capaz de me ocupar e afastar minha mente da comida.
( ) 3. Eu tenho o hábito regular de comer quando estou chateado(a), mas, de vez em quando posso usar alguma outra atividade para afastar minha mente da comida.
( ) 4. Eu tenho o forte hábito de comer quando estou chateado(a). Nada parece me ajudar a parar com este hábito.

# 5
( ) 1. Normalmente quando como alguma coisa é porque estou fisicamente com fome.
( ) 2. De vez em quando como alguma coisa por impulso, mesmo quando não estou realmente com fome.
( ) 3. Eu tenho o hábito regular de comer alimentos que realmente não aprecio para satisfazer uma sensação de fome, mesmo que fisicamente eu não necessite de comida.
( ) 4. Mesmo que não esteja fisicamente com fome, eu tenho uma sensação de fome em minha boca que somente parece ser satisfeita quando eu como um alimento, tipo um sanduíche, que enche a minha boca. Às vezes quando eu como o alimento para satisfazer minha "fome na boca", em seguida eu o cuspo, assim não ganharei peso.

# 6
( ) 1. Eu não sinto qualquer culpa ou ódio de mim mesmo(a) depois de comer demais.
( ) 2. De vez em quando sinto culpa ou ódio de mim mesmo(a) depois de comer demais.
( ) 3. Quase o tempo todo sinto muita culpa ou ódio de mim mesmo(a) depois de comer demais.

# 7
( ) 1. Eu não perco o controle total da minha alimentação quando estou em dieta, mesmo após períodos em que como demais.
( ) 2. Às vezes quando estou em dieta e como um alimento proibido, sinto como se tivesse estragado tudo e como ainda mais.
( ) 3. Freqüentemente, quando como demais durante uma dieta , tenho o hábito de dizer para mim mesmo(a): "agora que estraguei tudo, porque não ir até o fim". Quando isto acontece, eu como ainda mais.
( ) 4. Eu tenho o hábito regular de começar dietas rigorosas por mim mesmo, mas quebro as dietas entrando numa compulsão alimentar. Minha vida parece ser ou "uma festa " ou "um morrer de fome".


# 8
( ) 1. Eu raramente como tanta comida a ponto de me sentir desconfortavelmente empanturrado(a) depois.
( ) 2. Normalmente, cerca de uma vez por mês, eu como uma tal quantidade de comida que acabo me sentindo muito empanturrado(a).
( ) 3. Eu tenho períodos regulares durante o mês, quando como grandes quantidades de
comida, seja na hora das refeições, seja nos lanches.
( ) 4. Eu como tanta comida que, regularmente, me sinto bastante desconfortável depois de comer e, algumas vezes, um pouco enjoado(a).

# 9
( ) 1. Em geral, minha ingestão calórica não sobe a níveis muito altos, nem desce a níveis
muito baixos.
( ) 2. Às vezes, depois de comer demais, tento reduzir minha ingestão calórica para quase nada, para compensar o excesso de calorias que ingeri.
( ) 3. Eu tenho o hábito regular de comer demais durante a noite. Parece que a minha rotina não é estar com fome de manhã, mas comer demais à noite.
( ) 4. Na minha vida adulta tenho tido períodos, que duram semanas, nos quais praticamente me mato de fome. Isto se segue a períodos em que como demais. Parece que eu vivo uma vida ou de "festa" ou de "morrer de fome".

#10
( ) 1. Normalmente eu sou capaz de parar de comer quando eu quero. Eu sei quando "já chega".
( ) 2. De vez em quando, eu tenho uma compulsão para comer que parece que eu não posso controlar.
( ) 3. Freqüentemente tenho fortes impulsos para comer que parece que não sou capaz de controlar, mas, em outras ocasiões eu posso controlar meus impulsos para comer.
( ) 4. Eu me sinto incapaz de controlar impulsos para comer. Eu tenho medo de não ser capaz de parar de comer por vontade própria.

#11
( ) 1. Eu não tenho problema algum para parar de comer quando me sinto cheio(a).
( ) 2. Eu normalmente posso parar de comer quando me sinto cheio(a) mas, de vez em quando, comer demais me deixa desconfortavelmente empanturrado(a).
( ) 3. Eu tenho um problema para parar de comer uma vez que eu tenha começado e, normalmente, sinto-me desconfortavelmente empanturrado(a) depois que faço uma refeição.
( ) 4. Por eu ter o problema de não ser capaz de parar de comer quando quero, às vezes tenho que provocar o vômito, usar laxativos e/ou diuréticos para aliviar minha sensação de empanturramento.

#12
( ) 1. Parece que eu como tanto quando eu estou com os outros (reuniões familiares, sociais) como quando estou sozinho(a).
( ) 2. Às vezes, quando eu estou com outras pessoas, não como tanto quanto eu quero comer porque eu me sinto constrangido(a) com o meu comportamento alimentar.
( ) 3. Freqüentemente eu como só uma pequena quantidade de comida quando outros estão presentes, pois eu me sinto muito embaraçado(a) com o meu comportamento alimentar.
( ) 4. Eu me sinto tão envergonhado(a) por comer demais que escolho horas para comer demais quando sei que ninguém me verá. Eu me sinto como uma pessoa que se esconde para comer.

#13
( ) 1. Eu faço três refeições ao dia com apenas um lanche ocasional entre as refeições.
( ) 2. Eu faço três refeições ao dia, mas, normalmente, também lancho entre as refeições.
( ) 3. Quando eu faço lanches pesados, tenho o hábito de pular as refeições regulares.
( ) 4. Há períodos regulares em que parece que eu estou continuamente comendo, sem refeições planejadas.

#14
( ) 1. Eu não penso muito em tentar controlar impulsos indesejáveis para comer.
( ) 2. Pelo menos, em algum momento, sinto que meus pensamentos estão "pré-ocupados" com tentar controlar meus impulsos para comer.
( ) 3. Freqüentemente, sinto que gasto muito tempo pensando no quanto comi ou tentando não comer mais.
( ) 4. Parece, para mim, que a maior parte das horas em que passo acordado(a) estão "pré-ocupadas" por pensamentos sobre comer ou não comer. Sinto como se eu estivesse constantemente lutando para não comer.

#15
( ) 1. Eu não penso muito sobre comida.
( ) 2. Eu tenho fortes desejos por comida mas eles só duram curtos períodos de tempo.
( ) 3. Há dias em que parece que eu não posso pensar em mais nada a não ser comida.
( ) 4. Na maioria dos dias meus pensamentos parecem estar "pré-ocupados" com comida. Sinto como se eu vivesse para comer.

#16
( ) 1. Eu normalmente sei se estou ou não fisicamente com fome. Eu como a porção certa de comida para me satisfazer.
( ) 2. De vez em quando eu me sinto em dúvida para saber se estou ou não fisicamente com fome. Nestas ocasiões é difícil saber quanto eu deveria comer para me satisfazer.
( ) 3. Mesmo que eu pudesse saber quantas calorias eu deveria ingerir, não tenho idéia alguma de qual seria a quantidade "normal" de comida para mim.


Grelha de Pontuação

1 – 1=0; 2=0; 3=1; 4=3

2 – 1=0; 2=1; 3=2; 4=3

3 – 1=0; 2=1; 3=2; 4=3
.
4 – 1=0; 2=0; 3=0; 4=2

5 – 1=0; 2=1; 3=2; 4=3

6 – 1=0; 2=2; 3=3

7 – 1=0; 2=2; 3=3; 4=3

8 – 1=0; 2=1; 3=2; 4=3

9 – 1=0; 2=1; 3=2; 4=3

10 - 1=0; 2=1; 3=2; 4=3

11 - 1=0; 2=1; 3=2; 4=3

12 - 1=0; 2=1; 3=2; 4=3

13 - 1=0; 2=0; 3=2; 4=3

14 - 1=0; 2=1; 3=2; 4=3

15 - 1=0; 2=1; 3=2; 4=3

16 - 1=0; 2=1; 3=2

Cada resposta marcada corresponde a uma determinada pontuação, conforme a lista acima.

Por exemplo: Se você escolheu a opção 3 na pergunta 8, deverá somar 2 pontos.

No final, deve-se somar a pontuação obtida com as respostas e avaliar o resultado de acordo com o total obtido.

Resultados

Menor ou igual a 17 – Provavelmente você não tem compulsão alimentar ou a tem com intensidade leve. As pessoas sem compulsão geralmente sentem-se capazes de controlar os impulsos alimentares e comem mais pelo prazer do que pela falta de controle. Reavalie seus hábitos alimentares e procure planejar melhor o horário, qualidade e quantidade das refeições.

Entre 18 e 26 – Você provavelmente é um comedor compulsivo de moderada intensidade. Comedores Compulsivos moderados relatam mais episódios esporádicos de perda de controle, mas são freqüentemente capazes de controlar os ataques de comer. São geralmente mais tolerantes com os exageros que cometem e não se sentem tão culpados. De qualquer maneira, são necessários a avaliação e o acompanhamento por parte de um nutricionista, um endocrinologista e até mesmo um psiquiatra.

Maior ou igual a 27 pontos – Você provavelmente sofre de Compulsão Alimentar Grave. Os comedores compulsivos graves costumam ter alterações importantes do comportamento alimentar e seu humor é mais instável que o dos obesos sem compulsão (sofrem de depressão, ansiedade, etc). Sentem extrema culpa e raiva após o episódio devido ao terrível sentimento de perda de controle durante o "ataque de comer". São os que tentam as dietas mais restritivas e os que mais se preocupam em controlar a alimentação, o que freqüentemente desencadeia um episódio de compulsão. Geralmente têm grandes dificuldades na adesão ao tratamento, abandonando-o freqüentemente. O tratamento, apesar de difícil, deve ser realizado por um especialista ou equipe com vários profissionais. Diversos medicamentos já foram aprovados para o tratamento de pacientes com Compulsão Alimentar, porém todos necessitam de acompanhamento médico permanente.

Como controlar a compulsão alimentar?
O melhor é sempre prevenir. Já discutimos alguns fatores que podem levar à compulsão alimentar. As dietas para emagrecer parecem ser um dos principais desencadeantes. Recomendamos sempre um plano de reeducação alimentar em vez das dietas muito restritivas. Fazer várias refeições por dia e sempre comer carboidratos pode evitar uma queda de serotonina, conforme explicamos antes.
Algumas pesquisas científicas já demonstraram que a prática de atividades físicas regulares também pode ajudar muito no controle da compulsão alimentar, além de todos os benefícios que trazem para a saúde.
Para aquelas pessoas que não conseguem controlar sua compulsão através de um planejamento alimentar associado à prática de atividades físicas, pode ser necessário o uso de remédios. Os mais úteis nestas situações são os que agem através da serotonina, principalmente a fluoxetina, a sibutramina e a sertralina. Nunca devem ser usados, entretanto, sem a prescrição e o acompanhamento de um médico.
Finalmente, para os casos mais graves de obesidade mórbida associada a uma compulsão alimentar incontrolável, que não melhora nem com remédios, existe o recurso da cirurgia bariátrica. 

O post ficou enorme, mas espero que tenham gostado...O meu deu 30 (o negócio tava feio pra mim, mas agora vai mudar), e ae qual foi o resultado de vcs????

Bjus meus amores <3 <3 <3'

Nenhum comentário:

Postar um comentário